Como identificar se as plantas da minha lavoura estão saudáveis?

Existem várias formas de avaliar a saúde da sua planta. A maneira mais simples é identificar visualmente o seu estado. Entre as características mais comuns que se observam em plantas adoecidas, a mudança na cor das folhas e do caule, além do formato irregular de desenvolvimento é um forte indicativo de que algo não está bem. O surgimento de pintas, manchas, buracos nas folhas, assim como a presença de lagartas, percevejos, pulgões, etc, também demonstram que a planta está passando por perturbações que inibem o seu processo natural de crescimento — que, naturalmente, afeta a sua produtividade no final do ciclo.

Fungos, vírus, bactérias, nematóides, pragas e até a presença de plantas daninhas deixam suas marcas que podem estar em qualquer e em todos os lugares: das folhas até as raízes; afetando em diversos graus: desde pequenas debilitações até a total inutilização da planta.

Exemplos de fácil identificação de plantas doentes.

Identificar visualmente a saúde da sua planta exige conhecimento para poder interpretar o significado dos sinais apresentados e com isso, tomar a decisão certa para reverter a situação. Abaixo, listamos alguns exemplos simples de plantas doentes (que apresentam sinais visíveis aos olhos) e o que cada uma dessas manifestações nas folhas podem significar.

Sabemos que existem dezenas de motivos para o desenvolvimento incorreto de uma planta, a identificação visual é essencial para encontrar o(s) problema(s). O primeiro reconhecimento vai orientar quais atitudes devem ser tomadas.

FOLHAS COM MORDIDAS E BURACOS

Sinais da presença de pragas como lagartas, formigas, pulgões, etc, que se alimentam das folhas e caules.  Esta é uma das formas mais claras de perceber a presença de pragas, mas nem sempre você vai chegar a tempo de encontrá-las na planta. Neste caso, olhe as plantas próximas e procure no chão por outros indícios de qual praga está trazendo este prejuízo.

FOLHAS MURCHAS OU SECAS

Neste caso, geralmente, você vai notar a falta de água primeiro no solo, mas logo em seguida a planta vai dar sinais de que está precisando de nutrientes. Um solo rachado é um sinal bem claro, mas geralmente a planta já deve apresentar sinais antes da falta de água.

FOLHAS MURCHAS OU AMARELADAS

Cada planta precisa de uma medida exata de cada nutriente, por isso que pouca água faz mal e muita água também. Curvas de nível mal feitas acabam gerando acúmulo de água em áreas mais baixas e isso acaba prejudicando a planta – e em alguns casos inviabilizar o seu desenvolvimento.

FOLHAS NOVAS AMARELADAS OU ESBRANQUIÇADAS COM VEIOS VERDES

São marcas da deficiência de ferro. Lembrando que a alteração na cor das folhas é um sintoma fácil de identificar, mas que pode sugerir diferentes problemas e também pode tem diferentes consequências dependendo da cultura.

FOLHAS AMARELADAS E ESCURAS NAS BORDAS

A deficiência de potássio pode gerar bordas ao redor da folha, mas esses sinais podem ter pequenas variações, dependendo da cultura.

FOLHAS DESBOTADAS OU AMOLECIDAS:

São marcas visuais bem comuns que indicam que a planta precisa de luz solar, mais comuns em plantas em casas/apartamentos, mas pode acontecer a campo dependendo do clima.

Analisar visualmente sempre é a solução mais prática?

Acima, vimos alguns exemplos de uma rápida e fácil identificação visual de problemas na planta, que pode ser causado por deficiência de nutrientes, ataque de pragas ou mesmo doenças.

Porém, nem sempre é tão simples saber se a produção está saudável. Algumas adversidades que podem diminuir a rentabilidade de uma lavoura não são identificadas por uma constatação visual; a planta pode aparentar estar saudável quando, na verdade, o cenário produtivo dela entrega outra realidade.

Por exemplo, uma planta frutífera que aparentemente está saudável pode estar com a sua saúde debilitada por doenças ou falta de nutrientes e mesmo gerando frutos, eles podem ser menores e em uma quantidade abaixo do normal quando comparado a uma planta saudável.

Em algumas culturas, uma árvore frutífera leva semanas até apresentar os primeiros indícios visuais de que está com alguma deficiência nutricional. E as vezes ela pode simplesmente estar com dificuldade de acesso a irrigação, mas não será algo simples de perceber.

Outro fator de dificuldade é o tempo: o produtor que precisa lidar com o gerenciamento da lavoura não tem disponibilidade para assistir planta por planta em busca de problemas, ainda mais em culturas de escala. 

Imaginemos 500 hectares de uma lavoura: de que maneira o agricultor terá tempo para analisar com seus próprios olhos a situação das plantas? Como ter o conhecimento se milhares e milhares de cultivares estão saudáveis ou se exigem algum manejo estratégico? Como saber qual é o tamanho da área afetada? Qual é o parasita que está impedindo o desenvolvimento saudável das plantas? E qual é a melhor, e mais econômica, decisão a ser tomada? Agora imagine em milhares de hectares.

São perguntas decisivas para uma boa colheita e que costumam incomodar muitos trabalhadores do campo. E as respostas podem vir, literalmente, do céu.

Então, existe outra forma mais prática do que a constatação visual, para identificar a saúde da planta? A resposta é: sim! A fotossíntese das plantas pode ajudar na constatação de problemas na lavoura com antecedência, facilitando o reconhecimento das adversidades e a tomada de decisão.

Como a fotossíntese pode ajudar na avaliação da saúde da lavoura?

Uma planta faz fotossíntese para se alimentar ao metabolizar a energia solar. Através da raiz, a planta retira água e sais minerais do solo que, pelo caule, chegam até as folhas para o seu desenvolvimento. É nesse momento que a luz do sol, que também é absorvida pelas folhas através da clorofila, pigmenta a planta. Um bom pigmento significa que a planta é saudável.

Maiores índices vegetativos são resultados de plantas que fazem uma boa quantidade de fotossíntese que, por sua vez, não são vistas pelo olho humano, mas são captadas pelos satélites com imagens em infravermelho utilizados pelo Granular Insights.

Nesse caso, quanto mais roxo o seu talhão aparecer nos mapas do Granular Insights, mais fotossíntese as plantas estão fazendo naquele ponto. Quanto mais amarelo no talhão, menos fotossíntese e essa pode ser a hora de avaliar a área para constatar qual é o problema. Mas é claro que existe um ponto de atenção, nem sempre o índice de vegetação alto indica que a sua planta está se desenvolvendo bem, mas as vezes, que existem plantas daninhas no meio da lavoura – é que elas sim estão aumentando o índice naquele ponto.

Todos os sintomas visuais que apresentamos neste post afetam a capacidade da planta de realizar fotossíntese e, por isso, o índice vegetativo dela vai diminuir.

A constatação de fotossíntese em áreas recém-germinadas

É importante estar sempre atento. As plantas daninhas também fazem fotossíntese, são plantas como quaisquer outras, e o infravermelho captura essa reação. Portanto, nem sempre um talhão que apresenta uma coloração predominantemente roxa no seu Granular Insights está totalmente saudável e indica que a sua cultura está realizando a fotossíntese de forma apropriada. Visitar as áreas para o monitoramento presencial é igualmente importante, principalmente quando você identifica anomalias através do Granular Insights.

Se você realizou o plantio recentemente e o Granular Insights já está apontando altos níveis de fotossíntese na área pode ser um sinal da presença de plantas daninhas que já estavam lá antes do plantio ou se desenvolveram com maior velocidade. Identificando-as com antecedência, você tem tempo para tomar decisões antes dos prejuízos maiores.

Fizemos um outro post falando sobre a relação entre alto índice vegetativo e a saúde das plantas.

O que os olhos não enxergam, o infravermelho mostra.

Uma das funções do Granular Insights é revelar a situação da sua lavoura através da fotossíntese capturada por imagens usando o espectro NIR (próximo ao infravermelho).

Identificar as áreas não-saudáveis através das imagens de satélites e dos índices vegetativos significa ir além do que os olhos conseguem ver; significa proteger a sua lavoura, agir onde realmente é necessário (economizando no uso de recursos), ter tempo para gerenciar outras questões da propriedade, focar no manejo correto e, principalmente, trabalhar rumo à colheita rentável.

Fique por dentro!

Deixe o seu e-mail para receber novos posts do blog direto em sua caixa de entrada