Como o monitoramento por satélite pode proteger a lucratividade da sua lavoura?

Toda lavoura, independente da cultura, possui riscos. Perdas e ganhos precisam ser administrados de forma realista, fazendo com que a propriedade produza o suficiente para gerar rentabilidade, lucratividade e qualidade. Você conhece os riscos que pairam sobre sua produção? Tem um bom domínio sobre eles? Sabe qual é o talhão mais produtivo e qual é a área que pode ser potencializada na próxima safra? Conhece os pontos onde há mais incidência de plantas daninhas e por isso precisa usar uma dosagem diferente de controle?

Essas e outras questões fazem parte de um gerenciamento que visa, a cada novo ciclo, fazer com que a propriedade se torne mais rentável, dando margem maior para os ganhos e diminuindo as perdas. Ou seja, controlando os riscos e protegendo a lucratividade.

Você conhece a sua lavoura?

Conhecer a lavoura é um processo ininterrupto e que leva tempo, já que você está lidando com vários fatores cambiáveis a cada safra. Esses fatores vão desde a qualidade do solo, que pode variar de colheita para colheita, até as mudanças climáticas. Por exemplo, um ano com pouca chuva desenha um tipo de cenário que pode fazer com que o produtor tome decisões específicas para extrair uma boa rentabilidade da sua lavoura. Essas decisões podem fracassar em um novo ano em que o nível de chuva é maior.

O mesmo pode acontecer em relação a outros fatores. Suponhamos que em um ano o agricultor identificou uma presença muito tímida da lagarta-do-cartucho e no ano seguinte continuou se baseando nesse cenário, sem tomar nenhuma outra decisão. Porém, a lagarta esteve fortemente presente nessa nova fase. O risco não foi gerenciado por falta de conhecimento e a lavoura já não está segura.

Os riscos sempre irão existir. Eles podem ser grandes e pôr tudo a perder, inclusive o investimento e o lucro da safra anterior. Porém, existem ferramentas eficientes para que o produtor consiga lidar com esses riscos e preparar a propriedade para enfrentar boa parte das possíveis adversidades. Ferramentas como a própria genética da semente, as biotecnologias, os agrodefensivos, o manejo correto, as boas práticas agrícolas e o monitoramento da lavoura feito por imagens de satélite são bons exemplos.

É claro que não basta estar munido de todas as ferramentas possíveis sem que você tenha conhecimento suficiente para saber usá-las. A experiência é um fator importante para lidar com as adversidades. É esperado, também, que essas ferramentas façam parte do orçamento e o mau uso delas aumenta o risco, por haver perda do investimento. E para evitar isso, é importante conhecer a sua propriedade para ter informações suficientes para protegê-la.

Monitorando: uma das formas mais eficientes de conhecer a sua propriedade. 

Em outros tempos, monitorar significava ir à campo em busca de informações. Uma tarefa exaustiva que levava dias e que, mesmo assim, estava suscetível a equívocos. Hoje, essa prática ainda pode ser uma realidade, mas com o monitoramento por imagens de satélite você consegue visitar toda a sua área de um jeito mais rápido e prático. E não importa o tamanho que ela seja. Com as imagens aéreas, dados são gerados e baseando-se neles é possível analisar e obter respostas sobre a qualidade da sua produção.

Você consegue ter agilidade para constatar, corrigir e até mesmo prever danos antes que eles aconteçam. O agricultor, auxiliado pelo monitoramento  através de imagens de satélite, tem em mãos uma ferramenta que, se bem usada, tem capacidade de tornar mais rentáveis a administração de seus insumos, como defensivos, fertilizantes e sementes, uma vez que é possível identificar a área específica que necessita do manejo.

O monitoramento equipa o produtor com conhecimento sobre sua propriedade. Esse conhecimento, associado à experiência, é um grande passo para que o agricultor tenha capacidade de proteger seus investimentos e maximizar seu potencial de retorno.

Quem acha que o monitoramento por satélite é uma ferramenta útil apenas nos períodos de safra, está enganado. Ao analisar as imagens é possível identificar áreas que estão propensas a problemas no futuro e, até mesmo, trazer o histórico para acompanhar o desenvolvimento da lavoura ao longo dos anos. Tudo isso para que seja possível tomar decisões antes que os problemas possam acontecer e, assim, antever e evitar danos.

Um seguro para sua propriedade.

Monitorar a lavoura é prever custos, é trabalhar para manter a qualidade do plantio, é economizar em insumos e ser mais rentável do que você foi na última colheita. É uma forma de proteger seus outros investimentos em sementes, em solo, em herbicidas, em defensivos, em maquinários. Dessa forma, a tecnologia por trás do monitoramento pode ser entendida como um seguro que, ao antecipar os problemas e tornar a produção mais íntegra, preserva o seu patrimônio.

Nem sempre que você abrir o monitoramento vai encontrar algo útil, mas quando alguma adversidade aparecer, terá o conhecimento necessário para investigar e agir antes que o problema se prolongue e cause maiores prejuízos. O investimento no monitoramento se paga e dá lucro a partir do momento em que você antevê problemas e os evita sem precisar gastar com o que poderia ser, lá na frente, uma surpresa desagradável. Diminuindo as chances de sustos, o monitoramento prepara você para tomar decisões mais seguras, econômicas e precisas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro!

Deixe o seu e-mail para receber novos posts do blog direto em sua caixa de entrada