Entrevista com Roberto Hun, presidente da Corteva Agriscience, sobre o futuro da agricultura no Brasil

Até mesmo quem não tem ligação direta com as lavouras sabe que a agricultura é um modelo de negócio desafiador. Também é de conhecimento geral que as culturas são importantes para o desenvolvimento da vida humana e o crescente consumo alimentício da população mundial gera maiores demandas das produções agrícolas. Se tratando de grãos, a Embrapa projeta que o Brasil será o maior exportador do mundo até o ano de 2050. Esse crescimento não é um acaso, por trás dele está o envolvimento dos produtores, das empresas, dos estados e da federação. A responsabilidade é grande, mas com ela está a oportunidade de evolução.

E é neste contexto , falando sobre oportunidades, tecnologias e futuro do agronegócio brasileiro,  que trazemos uma conversa  com o Presidente da Corteva Agriscience para o Brasil e Paraguai, Roberto Hun.

A Corteva é uma das maiores marcas do agronegócio mundial, responsável por desenvolver e comercializar  defensivos  agrícolas, sementes e outros produtores agrícolas ao redor do mundo. Mas a empresa vai além disso. Ela se propõe a potencializar os produtores rurais com informações, conhecimentos técnicos, inovações do setor e o que há de melhor em produtos e serviços no mercado agrícola. 

Começamos perguntando quais são, hoje, os principais desafios do agricultor brasileiro.

Roberto Hun: “São vários os desafios pela própria natureza do negócio. Afinal, o agricultor precisa lidar com fatores externos (em especial, os climáticos) para planejar a próxima safra, assim como desafios internos relacionados ao mercado e flutuações da moeda. No entanto, os avanços tecnológicos observados nas últimas décadas – como na agricultura digital – estão ajudando o produtor rural a melhorar sua produtividade e rentabilidade mesmo em condições desafiadoras, contribuindo para o melhor resultado no campo. 

Vivemos tempos complexos para quem atua dentro da agricultura, e conseguir ajudar milhares de produtores ao redor do mundo a prosperar em seus negócios é sempre muito gratificante”.

Como poderíamos comparar o conhecimento técnico do produtor brasileiro com o resto do mundo?

Roberto Hun: “O produtor rural brasileiro está entre os mais especializados do mundo, buscando se renovar em torno das tecnologias e conhecimento atualmente disponível no mercado, de forma a contribuir ainda mais para a melhor e maior produtividade no campo. Sabemos das diferenças que a valorização da moeda pode impor no acesso a tecnologias atualmente usadas em países agrícolas mais tecnificados. 

Mesmo em meio a tantas dificuldades, o agricultor brasileiro tem se superado e demonstrado um potencial enorme para chegar ainda muito mais longe com a chegada de novas tecnologias digitais e biológicas para o campo”.

Qual é o peso do investimento em novas tecnologias para as empresas do ramo agrícola?

Roberto Hun: “Inovação é fundamental para o sucesso do produtor. Na Corteva Agriscience, empresa 100% agrícola, investimos todos os anos USD 1,2 bilhão em Pesquisa & Desenvolvimento de novos produtos. Desse total, USD 200 milhões são direcionados para inovações no Brasil. 

Este é o nosso compromisso: oferecer tecnologias que ajudem o agricultor a superar os desafios observados no campo. Trabalhamos sempre para manter a agricultura brasileira competitiva internacionalmente, contribuindo para a produção de alimentos”.

Sobre as tecnologias, perguntamos como os produtores podem ficar por dentro e, principalmente, como saber em quais tecnologias vale a pena investir.

Roberto Hun: “Temos uma equipe comercial espalhada por todo o Brasil e conectada com os agricultores para entender suas necessidades. Nosso time comercial está preparado para oferecer uma visão 360º das nossas soluções de sementes, proteção de cultivos, agricultura digital, além do sistema Enlist e, em breve, de biológicos. Sempre contribuindo para os melhores resultados em campo. Esteja sempre próximo de seus representantes, distribuidores e parceiros de confiança para estar atualizado sobre as novidades do setor. As mudanças têm acontecido rápido e recompensa aqueles que têm visão ampla de seus benefícios. 

Uma forma muito interessante é acompanhar o que as marcas trazem em seus canais, como no Facebook e Instagram e também em seus canais do YouTube.”

Para finalizar, perguntamos ao Roberto Hun quais são os planos da Corteva para o futuro.

Roberto Hun: “O Brasil representa o segundo maior mercado da Corteva Agriscience no mundo e temos planos de continuar ampliando a nossa atuação no país, assim como sempre fizemos com sementes e defensivos. Daí o nosso foco em inovação e no lançamento de tecnologias ainda mais modernas, seguras e sustentáveis, conectadas com as demandas observadas no campo e na cidade.”

Na fala do diretor da Corteva Agriscience, evidencia-se que os investimentos em tecnologia já trazem, e continuarão trazendo, prosperidade às lavouras. Isso faz muito sentido vindo da Corteva, que é a única grande empresa de agrociência totalmente dedicada à agricultura e detentora de grandes marcas do agronegócio, como Pioneer, Brevant, Cordius e Granular.

Com a experiência que reúne toda a especialização adquirida durante dois séculos de realizações científicas, a Corteva Agriscience se concentra no hoje e no amanhã, alcançando o futuro do agronegócio com sua relevância e presença global. Não há dúvidas de que o profundo conhecimento e recursos diversificados da Corteva potencializam as lavouras e os investimentos dos produtores para levar a cadeia do agronegócio mundo afora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro!

Deixe o seu e-mail para receber novos posts do blog direto em sua caixa de entrada