Estimativa de produtividade no milho

O objetivo de todo plantio é a colheita. O melhor período, as melhores sementes, manejos e produtos são escolhidos com base em decisões bem pensadas para que os bons resultados se concretizem. E enquanto esses resultados não chegam, muitos produtores usam cálculos para estimar quanto todo o esforço despendido na safra poderá render logo ali na frente.

A prática da estimativa de produtividade é útil para quem quer ter uma ideia de qual será o rendimento da produção e assim, poder se preparar para a colheita que se aproxima. A estimativa serve para o produtor otimizar o trabalho das máquinas e, também, verificar questões relacionadas ao armazenamento de grãos e à comercialização do resultado vindo da lavoura.

Existem diversos métodos para se fazer uma estimativa de produção. Todas as fórmulas exigem que o produtor se dedique para coletar amostras em diferentes pontos da lavoura para obter um resultado mais exato.

Dicas para fazer uma boa estimativa

Vamos imaginar o cenário onde um produtor tem 500 hectares de milho plantados. Fazer uma estimativa baseada em apenas uma única espiga é muito impreciso e não vai gerar uma informação a ser levada em consideração. Para montar uma estimativa mais aproximada da realidade, é importante que a amostra leve em consideração um número maior de espigas e que elas sejam retiradas de diferentes pontos do talhão.

No vídeo, a seguir, o agrônomo José Carlos Madaloz explica três diferentes formas possíveis para estimar a produtividade na lavoura de milho. Dê o play e entenda como esses cálculos são feitos.

Um dos métodos mais simples e objetivos para fazer a estimativa de produção na cultura do milho é realizando os seguintes passos:

1. Saber a população de plantas por área;

2. Coletar algumas espigas da área desejada;

3. Calcular o peso médio de grãos de cada uma das espigas;

4. Após ter o peso médio de grãos, basta multiplicar pelo número total de plantas encontradas no talhão.

Vamos mostrar um exemplo. Supondo que o peso médio das espigas selecionadas seja de 180 gramas e a população da área de 70 mil plantas por hectare, calcula-se: 0,180 x 70.000 e teremos a estimativa de produção de 12.600kh/ha. Lembrando que, quanto maior for o número de espigas coletadas e avaliadas nesse método, menor será a margem de erro da estimativa.

Uma outra fórmula para a estimativa da produção é baseada no cálculo “Corn Yield Calculator”. Essa regra foi publicada pela universidade de Illinois, nos Estados Unidos, e funciona da seguinte forma:

1. Conte o número de espigas em 4m²;

2. No mesmo local, selecione quatro espigas representativas. Conte o número de fileiras de grãos e o número de grãos por fileira para cada espiga. Não conte os grãos da extremidade que sejam menores que a metade do tamanho normal;

3. Feito isso, a estimativa de produção acontece por meio do seguinte cálculo:

(número de espigas em 4m²) x (número de fileiras de grãos na espiga) x (número de grãos por fileira) x 0,70

O número 0,70, presente na equação, é o fator de correção do método. Ele também é responsável por transformar bushels/acre para kg/ha. Sendo assim, o método “Corn Yield Calculator” vai resultar no número de kg/ha com 15,5% de umidade;

4. Repita essa operação matemática usando os números das quatro espigas colhidas no local e tire a média dos resultados;

5. Feito o cálculo com quatro espigas no mesmo local, é hora de ir para outro ponto da lavoura repetir essa equação com outras quatro espigas. Por exemplo, você deve colher quatro espigas dos pontos A,B,C,D,E,F e G da lavoura e realizar um cálculo para cada espiga. É a média de todos os resultados que dará a estimativa da produtividade final da área.

Além desses dois métodos citados acima, existe um terceiro, indicado pela Emater. Nesse, a estimativa é feita com a seguinte operação matemática:

(Número médio de espigas em 10m lineares) x (Peso médio de grãos por espiga corrigido para 15,5% de umidade, obtido pela média, em gramas, do peso de grãos de 3 espigas coletadas) / (Espaçamento entre linhas em metros) / 1000

O resultado desse cálculo dará a estimativa de produtividade em toneladas/ha a 15,5% de umidade.

Além desses, existem outros métodos que ajudam a estimar a produtividade do milho. A maioria dos cálculos parte do princípio do peso de grãos e da população de plantas da área e, basicamente, todas as metodologias indicam que, para maior exatidão, é necessário usar espigas de várias partes do talhão.

Como fazer uma boa estimativa com o Granular Insights

Fazer estimativa pode ser um tanto trabalhoso, como já vimos, exige cálculos e coletas de amostras, mas é um movimento importante a ser feito quando se pensa em planejar a colheita e todas as questões que a seguem. Com o Granular Insights, fazer a estimativa de produção no milho pode ser mais fácil. O produtor pode contar com uma funcionalidade “Estimativa de Produtividade” que permite fazer todo esse processo de forma bem mais rápida durante o monitoramento a campo.

Basicamente, o produtor precisará tirar fotos de espigas na lavoura e, também, fornecer alguns dados, como a população de plantas e a quantidade de grãos/kg. O Granular Insights irá cruzar essas informações e o usuário terá a sua resposta em segundos, sem precisar usar calculadora, planilhas ou qualquer fórmula matemática. Abaixo, listamos alguns pontos que precisam ser levados em consideração para se fazer uma boa estimativa usando a funcionalidade do Granular Insights:

• O ideal é fazer a estimativa a partir do estádio fenológico R3 (grão leitoso), quando os grãos já estão bem formados;

• Para uma contagem mais precisa, procure tirar uma foto clara da espiga. Evite sombras, folhas e que outras espigas apareçam na captura de imagem;

• Colete espigas que tenham uma distância entre elas, você pode coletar apenas das linhas pares, por exemplo. Evite pegar espigas de plantas que estejam uma do lado da outra;

• Faça a mesma estimativa em diferentes pontos do talhão, pois cada microrregião do talhão terá diferentes resultados;

• Ajuste corretamente a população de plantas e a quantidade de grãos/kg para resultados mais precisos.

A estimativa realizada pelo Granular Insights será salva como uma nota e ficará disponível para todos os usuários que têm acesso àquele talhão.

A estimativa será sempre uma estimativa

Além de ser útil para planejar a colheita, a estimativa pode fazer o produtor entender como está o desenvolvimento da lavoura e também comparar, por exemplo, talhões e setores dentro da propriedade já que ele terá em suas mãos espigas de diferentes locais. Um ponto importante sobre a estimativa é entender as limitações da cultura e do método utilizado.

Um cálculo para estimar a produção sempre será uma ideia e nunca uma certeza. O resultado da colheita real vai depender muito do desenvolvimento da lavoura e isso pode variar conforme a umidade do grão no momento em que for tirado o peso médio no final de todo o processo.

Mesmo não se tratando do resultado final da colheita, a estimativa de produtividade, quando bem realizada, se torna um recurso útil e tem ajudado produtores a planejarem melhor suas decisões nas propriedades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro!

Deixe o seu e-mail para receber novos posts do blog direto em sua caixa de entrada