Lucratividade, rentabilidade ou produtividade? É possível ter tudo isso, ao mesmo tempo, no negócio?

No seu negócio, você busca lucratividade ou rentabilidade? Ou então, você não está buscando nem lucratividade, nem rentabilidade, mas sim, produtividade? Consegue distinguir a diferença entre esses três conceitos? Seria possível administrar uma propriedade que dê lucratividade, rentabilidade e produtividade ao mesmo tempo ou temos que escolher? Mas qual escolher? Neste post, esclarecemos essas dúvidas.

Começaremos por definir a LUCRATIVIDADE que está ligada com o saldo entre as receitas e despesas das atividades. Lucro é o restante dos valores obtidos com a atividade menos os valores despendidos com ela. Assim, subtrai-se todos os custos diretos e indiretos envolvidos na produção do valor resultante da venda dessa produção e o que restar dessa operação matemática é o lucro. Caso o valor dê negativo é sinal que houve mais investimentos do que retornos e a produção nem ao menos se pagou. A lucratividade é um dos conceitos mais importantes no gerenciamento do negócio e costuma ser o foco dos produtores.

Quando se fala em RENTABILIDADE, devemos entender como sendo o resultado obtido por determinada estratégia adotada. Na rentabilidade, o que está em questão é a quantidade de retorno sobre o investimento. Investiu muito e isso não deu retorno? Não houve rentabilidade, hora de procurar outra estratégia para reverter o cenário. Investiu muito e deu retorno? Houve rentabilidade, a estratégia escolhida funciona. Investiu pouco e houve o mesmo retorno? Essa é a rentabilidade ideal, por isso que o produtor não deve parar de buscar novas estratégias.

Pode acontecer do produtor não investir nada e gerar uma boa produção? Esse seria o melhor cenário possível, mas ele é muito improvável. Quase um sonho. Assim como pode acontecer do produtor não investir nada ou pouco e perceber que perdeu a oportunidade de extrair um alto potencial produtivo da sua área e deixou de lucrar mais.

Para saber se houve ou não rentabilidade, devemos pegar os resultados obtidos com a atividade e comparar com as taxas de retorno que foram obtidas com os investimentos e, também, comparar com as taxas que poderiam ser obtidas aplicando o mesmo montante de capital em outras escolhas.

E, por fim, a PRODUTIVIDADE que é o resultado dos esforços em função do tempo. Muitos produtores investem em busca do aumento de produtividade, mas ela nem sempre é sinal de lucro. É verdade que uma boa produtividade costuma desencadear uma boa lucratividade, mas essa não é uma regra. Para produzir mais, é preciso fazer investimentos com equipamentos, insumos, mão de obra e tudo isso são custos. Se os incrementos para o aumento da produtividade forem maiores do que a receita gerada pela produção, os esforços até produziram mais, porém não trouxeram lucros e isso é um problema, afinal os investimentos foram além.

Em resumo:

LUCRATIVIDADE: saldo positivo em determinada área, levando em consideração todos os custos de produção e de preços de venda do produto colhido.

RENTABILIDADE: quantidade de retorno sobre uma determinada escolha de investimento.

PRODUTIVIDADE: quantidade produzida em determinada área.

Lucratividade, rentabilidade ou produtividade? Em qual desses três conceitos ficar mais de olho?

Tanto a lucratividade quanto a rentabilidade e a produtividade são importantes para o gerenciamento e é possível gerenciar esses três conceitos na propriedade rural. Agora, o que mantém o negócio evoluindo é o lucro. Sem ele, fica mais difícil continuar gerando rentabilidade e produtividade no futuro. Então, um administrador deve ficar de olho na lucratividade e não necessariamente na alta produtividade. É melhor ter uma produção baixa, com pouca produtividade, que gere lucros do que uma alta produtividade que demandou muitos investimentos, mas que não foi capaz de gerar lucros ou, até mesmo, gerou lucros proporcionais ao da produção baixa.

Investimentos podem e devem ser feitos para aumentar a produtividade: melhores sementes, melhores maquinários, insumos para controle das adversidades, manejo do solo, entre outros. Todos esses esforços, quando bem planejados, acabam por potencializar a produção e gerar lucro. E não só isso, como gerar lucros ainda maiores com base em decisões que visam a rentabilidade do negócio, ou seja, com base em escolhas que aumentem a produção sem que seja preciso investir muito mais.

Como o Granular Insights pode auxiliar o produtor a ser mais lucrativo, rentável e produtivo?

A resposta é simples: O Granular Insights pode ajudar o produtor a ser mais preciso em suas tomadas de decisões. Cada passo no gerenciamento da propriedade é importante para a sustentabilidade do negócio. Cada passo pode mudar os rumos do negócio. Um passo em falso, pode diminuir o potencial produtivo. Então, quanto mais certeza, mais precisão e mais economia, melhor será o gerenciamento e os resultados da lavoura.

O Granular Insights não vai gerar mais lucratividade, rentabilidade e produtividade só por monitorar a lavoura. Mas vai ser uma ferramenta para auxiliar o agricultor, através das imagens de satélite e o Índice de Vegetação, a ver coisas que ele não perceberia tão facilmente. É uma boa forma de entender a propriedade, esclarecer as coisas de um jeito mais fácil e ter fundamentos que direcionam as decisões para um rumo mais coerente, sem depender do achismo ou da sorte.

Para ficar mais claro como o monitoramento com o Granular Insights pode ajudar o produtor na busca de lucratividade, rentabilidade e produtividade, podemos prever alguns cenários.

Primeiro, o Granular Insights vai fazer o agricultor poupar tempo ao monitorar a lavoura. O tempo também é uma forma de estar lucrando, rentabilizando e produzindo, afinal, deixando de ficar horas monitorando a lavoura presencialmente, você pode investir esse tempo em outros afazeres, como, por exemplo, encontrar e testar melhores insumos para gerar rentabilidade.

Segundo, o Granular Insights, com as imagens de satélite, vai disponibilizar informações preciosas sobre a lavoura. Basta saber interpretá-las. Com o Granular Insights, é possível identificar mais rápido as adversidades que estão diminuindo a produtividade; é possível saber a área que está sendo atacada por alguma ameaça; é possível compartilhar informações com a sua equipe. Com base nesse tipo de informação, o agricultor já tem em mãos informações para agir e proteger os investimentos feitos na lavoura.

Quanto mais rápido a identificação da ameaça acontecer, mais rápido será realizado o manejo, mais rápido o controle e menos danos a adversidade poderá causar. Tudo isso se resume em mais produtividade.

Sabendo a área que a ameaça está agindo, o produtor tem no mapa do Granular Insights o direcionamento de onde deverá agir. O manejo de controle não precisa ser feito em toda a lavoura, pode ser localizado, cobrindo somente a área em que o problema se encontra. Tudo isso gera rentabilidade, porque se investiu menos em insumos, em maquinários e mesmo assim, a adversidade foi controlada.

Juntando a rapidez no controle com o manejo localizado, a produção se manteve, a rentabilidade foi aplicada e, por consequência de decisões corretas, o lucro virá.

Esses foram apenas alguns exemplos de como o Granular Insights pode auxiliar o produtor na gestão da sua propriedade rural. O monitoramento pode ir muito além. O importante é ter em mente que a lavoura precisa ser gerenciada como qualquer outro negócio.

Contar com ferramentas é um investimento que, como qualquer decisão dentro da propriedade, precisa ser analisada. Se a ferramenta foi testada e não houve mudanças nos resultados é momento de repensar. Agora, se a ferramenta ajudou o produtor, gerando lucratividade, rentabilidade e produtividade, esse é um indicativo de que a solução trouxe benefícios ao negócio e por isso, vale o investimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro!

Deixe o seu e-mail para receber novos posts do blog direto em sua caixa de entrada