Quanto maior o Índice de Vegetação, maior a produtividade da Lavoura?

Esta é uma dúvida recorrente para o produtor que escolhe direcionar o monitoramento da lavoura a partir de ferramentas como o Granular Insights, cujo algoritmo calcula o índice de vegetação das plantas analisando imagens de satélite recorrente e de alta resolução. A verdade é que a produtividade não está necessariamente ligada a um índice vegetativo alto, porque existem outros fatores importantes para serem analisados, como as características inerentes a cada cultivo e as fases de desenvolvimento entre o plantio e a colheita. 

Primeiramente, vale relembrar o conceito de índice de vegetação, que, basicamente, utiliza modelos matemáticos para medir a quantidade de luz que as plantas refletem e, com isso, definir a taxa fotossintética e, no caso da agricultura, o desenvolvimento da lavoura. Esses dados são coletados a partir de sensores instalados em aparelhos que possam fotografar o local (geralmente drones, aviões e satélites), para depois serem analisados em softwares específicos.

O algoritmo do Granular Insights utiliza o Índice de Vegetação de Banda Larga e Dinâmica (WDRVI em inglês) para definir essa taxa a partir das imagens de satélites coletadas, tendo como principal parâmetro de avaliação a quantidade de luz vermelha que é absorvida pela planta, além da quantidade de energia no infravermelho próximo (ou NIR) que é refletida pela estrutura celular da folha. 

Em suma, o resultado do WDRVI varia entre 0 e 1. Quando a planta absorve grande quantidade de luz visível, esse valor fica entre 0,33 e 1. Agora, quando ela absorve mais luz do NIR, isso significa que ela está sob estresse. Nesses casos, o índice vegetativo fica entre 0 e 0,33.

Clique aqui e entenda melhor a diferença entre os índices WDRVI e NDVI

Como funciona o WDRVI na prática?

Essas variações numéricas do WDRVI são expressadas, nas imagens captadas, através de cores diferentes, conforme o recorte abaixo, de uma área monitorada pelo Granular Insights. As áreas do talhão colorizadas em roxo e azul indicam que as plantas estão com excelente ou bom índice vegetativo (muitas folhas sadias). Já as áreas com coloração próximas ao amarelo mostram plantas com baixa taxa de fotossíntese (poucas folhas sadias). As cores em questão foram escolhidas pelos nossos desenvolvedores por serem perceptíveis por todo mundo, inclusive por quem tem daltonismo, o que não ocorre em outras ferramentas.

Visualização de talhão no Granular Insights mostrando área com manchas amareladas e manchas mais escuras.
Visualização de talhão no Granular Insights mostrando área com manchas amareladas e manchas mais escuras.

Levando em consideração apenas o índice vegetativo, pode-se concluir que as áreas em azul e roxo estão mais produtivas, uma vez que estão com bastante folhas e taxa fotossintética alta, certo? Não necessariamente, pois é preciso associar esse dado com outras informações também relevantes, como o estágio em que se encontra a lavoura. 

Por exemplo: próximo à dessecação ou à colheita, é normal que as plantas registrem um baixo índice de vegetação, pois nessas fases, a quantidade de folhas verdes e sadias é menor. Ou seja, se a imagem acima tiver sido captada em um desses períodos, o alto índice de vegetação pode indicar infestação por plantas daninhas.

Registrar altos índices vegetativos em áreas recém-germinadas também é indicativo de plantas daninhas. Foi o que aconteceu numa lavoura de milho em Goiás, na safra 2019/2020. Ao detectar que uma área de um talhão estava com índice vegetativo alto em comparação com as demais, a produtora descobriu uma infestação da erva-de-santa-luzia que, ao nascer junto do milho, aumentou a área foliar da região monitorada e, consequentemente,  o índice vegetativo no aplicativo. Veja na imagem abaixo:

3 telas mostram uma mancha escura no Granular Insights e ao lado fotos do local com infestação de plantas daninhas
Com a função Siga-me ativada, usuário localiza a mancha a campo e, a direita, fotos do local com a infestação da planta-daninha.

Isso nos leva a concluir que nos estágios iniciais e finais de uma lavoura, áreas em amarelo podem ser predominantes nas imagens captadas pelo Granular Insights, e não deve ser motivo de preocupação, pois não indicam baixa produtividade ou desenvolvimento naquele momento. 

Relação de produtividade e Índice Vegetativo nas culturas do Milho e da Soja

Em outro post aqui do blog nós trouxemos mais detalhes sobre como o índice vegetativo do Granular Insights reflete cada estádio de desenvolvimento das culturas do milho e também fizemos o mesmo post para a cultura da soja.

Cada estádios das culturas tem diferentes desafios e podem apresentar diferentes informações da cultura dentro do monitoramento do índice vegetativo. A estimativa de produtividade dentro das culturas do milho e da soja, usando imagens de satélite, é possível, mas bastante desafiadora.

No blog Agronegócio em Foco, existem dois posts sobre como estimar a produtividade do milho e também sobre como estimar a produtividade da soja.

É importante ressaltar, no entanto, que esses padrões podem variar muito. Por isso, além do uso de uma boa ferramenta para direcionar o monitoramento, o produtor precisa usar de seu conhecimento e de seus parceiros de confiança, levando em consideração as peculiaridades da cultura e dos materiais escolhidos, estágio da lavoura e os problemas comuns em cada um deles. Só assim será possível converter os dados coletados pelo Granular Insights em decisões assertivas para proteger a lucratividade da lavoura.

Fique por dentro!

Deixe o seu e-mail para receber novos posts do blog direto em sua caixa de entrada

Blog

Tudo sobre Gestão de Fazendas

Renata Bobrowski Rodrigues, 13/11/2020

Como interpretar imagens de satélites na cultura do milho

Renata Bobrowski Rodrigues, 03/11/2020

Como interpretar imagens de satélites na cultura da soja

Renata Bobrowski Rodrigues, 20/10/2020